SE VOCÊ ESTÁ LIDERANDO UMA EQUIPE, A PRIMEIRA HABILIDADE A SER DESENVOLVIDA É UMA BOA GESTÃO DO TEMPO.

Assumir o primeiro nível de liderança, como coordenador, supervisor ou qualquer outra nomenclatura, vai exigir uma mudança na agenda.

Nesse estágio, o aprendizado envolve planejamento (de forma que o trabalho seja concluído a tempo), pontualidade, conteúdo, qualidade e confiabilidade.

O exercício de planejamento requer construir uma agenda com espaço de tempo para delegar e ensinar outros. Isso inclui planejamento do trabalho, definição e atribuição de tarefas, motivação, orientação e mensuração do trabalho da equipe.

Você vai parar de “fazer” o trabalho e se concentrar em fazer o trabalho ser realizado pelos outros. Ter a dificuldade em delegar pode transformar o seu papel em “apagador de incêndio”: um bombeiro. Para evitar isso, iniciar por uma boa gestão do tempo facilita o exercício da liderança.

Um princípio que precisa estar em mente: o tempo é igual para todo mundo. Por isso, você precisa usar a sua mente para tirar as coisas da sua mente.

O que isso quer dizer? Comece por listar tudo que você precisa fazer e esvazie a sua mente. Isso vai ajudar a adotar o primeiro princípio que é aprender a lidar com os acordos internos. Em algum momento, você vai precisar fazer escolhas, dizer não e ter clareza do que precisa fazer para cumprir o que é de sua responsabilidade e dos outros. Lembre-se: você precisa orientar os outros.

Como diz um provérbio grego: “o começo é a metade de todas as ações”.

O método criado por David Allen, A arte de fazer acontecer, ensina os cinco passos para dominar o fluxo de trabalho:

  1. Capturar (listar) tudo o que chama a nossa atenção
  2. Esclarecer o que cada item significa e o que fazer com ele
  3. Organizar os resultados
  4. Refletir e priorizar
  5. Engajar.

Lembre-se você pode fazer todos os cursos de gestão do tempo, leitura de livros sobre o tema, mas se não colocar em prática, nada vai mudar em sua liderança.

Consultora de desenvolvimento e cultura de colaboração. Meu propósito é humanizar organizações a partir do presente e construindo o futuro.

Consultora de desenvolvimento e cultura de colaboração. Meu propósito é humanizar organizações a partir do presente e construindo o futuro.